Cláudio Botafogo Messias-On Line- Quinta-Feira-15 de agosto de 2019

PARA BOLSONARO, NORDESTINOS SÃO DESONESTOS

Nunca o Nordeste foi tão agredido por um presidente da República como acontece hoje com o senhor Jair Messias Bolsonaro. Agora em mais uma de suas atitudes tresloucadas ele avalia que todo nordestino é desonesto. Jair pegou um microfone de um câmera da Rede Globo e disse que sobre o  Nordeste : é preciso "chuva de honestidade" na região.

Jair Bolsonaro voltou a demonstrar o seu preconceito contra o povo nordestino. Ele pegou o microfone da câmera da Globo e pediu "chuva de honestidade" para a região. "Queria que a Globo botasse no ar um vídeo com uma canção lá do Nordeste, chama-se Chuva de Honestidade", afirmou. "É o que o Nordeste sempre precisou foi disso, chuva de honestidade. E o Brasil agradece". Assista ao vídeo

"Queria que a Globo botasse no ar um vídeo com uma canção lá do Nordeste, chama-se Chuva de Honestidade", afirmou. "É uma canção que é mais velha que eu, de 54, e o que o Nordeste sempre precisou foi disso, chuva de honestidade. E o Brasil agradece", acrescentou.

"Chuva de honestidade" era a canção preferida do ex-deputado Osvaldo Coelho (PFL, atual DEM), que morreu em 2015. Um dos trechos diz: "Israel é mais seco que o Nordeste/ No entanto se veste de fartura/ Dando força total à agricultura/ Faz brotar folha verde no deserto/ Dá pra ver que o desmando aqui é certo/ Sobra voto, mas falta competência pra tirar das cacimbas da ciência água doce que serve a plantação".

Antes de conversar e tirar fotos com os cinegrafistas, Bolsonaro perguntou sobre os jornalistas. "Não tem nenhum urubu aí? Urubu que eu chamo é repórter. Vocês [cinegrafistas] não. Vocês são tropa amiga. Não tem nenhum urubu não?".

O chefe do Planalto já havia causado polêmica, no mês passado, ao usar outro temro preconceituoso contra o Nordeste.

Foi divulgado um vídeo em que Bolsonaro fala sobre "governadores de paraíba" e cita o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB). "Não tem que ter nada para esse cara [Dino]".

Finalmente, os nordestinos começam a tomar vergonha na cara e aumenta a desaprovação ao governo de Bolsonaro.

A reprovação de Bolsonaro no Nordeste aumentou 27 pontos percentuais em oito meses. Em janeiro 26% dos eleitores da região avaliavam o presidente como ruim e péssimo. De acordo com pesquisa XP Investimentos/Ipespe, o percentual chegou a 53% em agosto.

Temos que acordar. O Brasil virou chacota no exterior. Um dos mais tradicionais jornais da Áustria destaca que nós elegemos um idiota. Não demora muito e será vergonhosa para um patrício dizer no exterior que é brasileiro. Selva

BANESE

O Governo do Estado começa um processo de privatização do Banese, disfarçado em venda de ações. A audiência pública está marcada para o dia 30 de agosto na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese) para discutir a venda das ações nominativas e preferenciais do Banco do Estado de Sergipe (Banese).

FRAGILIDADE

O deputado Iran Barbosa (PT), que fez o pedido da audiência, entende que a venda das ações do Banese fragilizará a instituição financeira, único banco estatal do Nordeste, e abrirá portas para a privatização.

PRESIDENTE

O deputado estadual Gilmar Carvalho preocupado com os possíveis impactos da venda de ações normativas e preferenciais do Banese, protocolou o Requerimento na última segunda-feira, 12, solicitando a convocação do presidente do Banco, Fernando Mota, para comparecer em sessão especial na Alese para apresentar os fatores que levaram a essa decisão. A venda de parte das ações do banco foi aprovada pelo Conselho Deliberativo do Banese.

CAMINHO

Iran disse durante pronunciamento na Alese que a abrir o capital do Banese é um caminho que pode levar a privatização, já que o governo federal tem colocado como exigência para a liberação de recursos para os governos estaduais a privatização de suas empresas públicas.

RESISTÊNCIA

“Nós resistiremos a qualquer iniciativa de privatização. Entendemos que empresas como a Deso e bancos públicos como o Banese cumprem papel social importantíssimo, e não aceitaremos iniciativas que vão na linha de fragilizar essas instituições a fim de privatizá-las. Por isso, precisamos compreender melhor o que está em andamento. Neste sentido, estou propondo uma Audiência Pública, para o próximo dia 30, na Alese, para tratar de forma mais aprofundada esse tema e conhecer quais os riscos dessa operação, porque entendemos que é preciso preservar o Banese como banco público”, enfatiza.

ESTUDOS

Iran propôs ao governo do estado, através da indicação nº 336/2019, proposta que foi debatida com o Sindicato dos Bancários de Sergipe, que realize estudos econômicos e jurídicos necessários para que o Estado apresente aos demais membros do Consórcio Interestadual de Desenvolvimento Sustentável do Nordeste (Consórcio Nordeste) – instituto pelos governadores da região no dia 29 de julho – a proposta de análise da viabilidade de adoção do Banese como entidade bancária oficial do Consórcio.

NÃO SERÁ

O deputado Zezinho Sobral, líder do governo na Casa Legislativa, afirma que o Banese não será privatizado e essa não é uma possibilidade cogitada pelo governo do estado. Ele lembra que para que uma empresa pública, a exemplo do Banese, seja privatizada é preciso que seja enviado um Projeto de Lei para apreciação e aprovação dos deputados estaduais.

EXAGERADA

“Sem um Projeto de Lei aprovado não é possível privatizar o Banese. A gente precisa sair dessa afirmativa de que a venda de ações na bolsa de valores significa privatização, isso não é verdade. Isso é uma preocupação exagerada,  é uma projeção de uma especulação de que abrir o capital seria privatização. Para que qualquer empresa pública seja privatizada o início do processo não é abrir o capital, é enviar um projeto de Lei para a Alese para que ela autorize, e esse projeto não existe. O Governo afirmou categoricamente nesta Casa que não vai privatizar o Banese, o que não quer dizer que não se possa abrir o capital, que você não modernize a instituição para que ela cresça”, afirma.

QUEIMADOS

Deputados federais sergipanos que apoiam o Governo Bolsonaro, principalmente na reforma da Previdência Social, estão sendo escorraçados por parte da população. Nas manifestações de terça-feira vários deles tiveram bonecos queimados.

PROFESSORES

Professores da rede estadual de ensino também voltaram a cobrar do Governo o reajuste salarial da categoria, que não é concedido há mais de cinco anos. O ato também contou com bonecos simbolizando os deputados federais sergipanos que votaram a favor da Reforma da Previdência e do presidente Jair Bolsonaro. A pretensão é queimá-los nesta terça-feira.

CARREIRA

Em junho deste ano, a Secretaria de Estado da Educação afirmou que o Governo de Sergipe retomou a Carreira do magistério no dia 1º de dezembro de 2018 passando a vigorar para 2019 a aplicação de 15% no escalonamento, o que representou um ganho real aos professores de aumento nominal de até R$855,88, promovendo a valorização dos níveis: graduação, especialização, mestrado e doutorado.

PISO NACIONAL

Por conta da retomada da carreira e aplicação real no escalonamento, a Seduc estuda os efeitos da aplicação do piso nacional sobre a hierarquização da carreira, dado ao esgotamento da capacidade do Fundeb em financiar a folha salarial do magistério e dos demais profissionais lotados nas escolas.

TRAIÇÃO

Em entrevista ao radialista Kleber Alves, no programa Inove Notícias da 930 Liberdade AM, o deputado estadual Ibrain Monteiro (PSC) revelou que o agrupamento político liderado pelo prefeito de Lagarto, Valmir Monteiro (PSC), que encontra-se afastado do cargo, foi traído pela vice-prefeita do município, Hilda Ribeiro (SD), junto com seu esposo e deputado federal Gustinho Ribeiro (SD).

SEM ACORDO

Questionado pelo radialista, Ibrain negou qualquer possibilidade de reaproximação do grupo que está respondendo administrativamente pelo município de Lagarto e que também não se cogita qualquer tipo de acordo com a família Reis. “Com meu pai a frente da prefeitura, Lagarto vinha emergindo, os salários eram pagos regularmente, eram mais de 200 obras no município e a aprovação da gestão era altíssima”.

PERSEGUIÇÃO

Em seguida, o deputado disse que toda essa “projeção positiva” se perdeu com a mudança de comando. “Hoje o que a gente vê em Lagarto é perseguição! Fomos traídos por este grupo e, desde então, o município só retrocedeu. O ambiente é carregado, os servidores comissionados que nos cumprimentam, que nos visitam ou até curtem nossas publicações nas redes sociais são exonerados”.

PAROU NO TEMPO

Ibrain disse ainda que muitos empresários da cidade estão preocupados com a mudança de comando. “A cidade parou no tempo! Meu pai, enquanto prefeito, tinha posição política, mas buscava o apoio de toda a bancada federal, de situação e oposição. Ele sempre defendeu que, independente de onde viesse, que fossem garantidos os recursos para obras na cidade”.

MENTIROSO

Ibrain disse também que Gustinho Ribeiro não fala a verdade quando anuncia emendas conseguidas pelo ex-deputado federal André Moura (PSC) para Lagarto. “Ele (Gustinho) foi desmentido, recentemente, pelo próprio André! Até hoje chegam tratores, maquinários agrícolas, ambulâncias, carros coletores e outros veículos. Tudo foi viabilizado por André a pedido do prefeito Valmir Monteiro, mas Gustinho enche a mídia de propaganda enganosa dizendo que a emenda é dele”.

MARCA

Questionado sobre a eleição de 2020, o deputado disse que no agrupamento está decidido que haverá um candidato a prefeito de Lagarto. “Tudo passa pelas mãos de Deus e ele faz nossos caminhos. Valmir Monteiro é uma marca em Lagarto e nosso grupo vai sim ter uma alternativa para a cidade no próximo ano. É um pouco cedo ainda, mas nosso grupo tem bons nomes”.claudio

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Telefones: 79 3214-5421 / 3044-0783
Email: contato@gazetahoje.com