Cláudio Botafogo Messias-OnLine-5-12-2018-quarta-feira

É TUDO OU TUDO

A decisão do governador reeleito  Belivaldo Chagas, PSD, de extinguir cargos em comissão e fundir ou extinguir Secretarias de Estado é o TUDO OU TUDO, para ter a governabilidade.

Inteligente, Belivaldo sabe que chegou a hora de acabar com a mamata de falsos cabos eleitorais, que traíram ele e seu grupo. Ele tem que sanear as finanças do Estado, caso queira realmente provar que chegou para resolver e fazer com que Sergipe retome o caminho do desenvolvimento em tempos de crise.

Belivaldo não terá mais pela frente uma reeleição e vai ter que atender as demandas populares, para marcar a sua administração em Sergipe.

Como o futuro a Deus pertence e não deverá cometer a besteira de dizer que não votem mais nele, Belivaldo poderá até disputar uma vaga para o Senado e se conseguir realizar o que prometeu, o povo não lhe faltará, como faltaram pastores e outros travestidos de homens de Deus.

Belivaldo deve ter cuidado com as traições em nome de Jesus e ter à sua disposição pessoas competentes que realmente queiram servir ao Estado e não aos seus interesses pessoais ou de grupo.

Torço para que Belivaldo faça as reformas necessárias, mas que não cometa injustiças. É cedo para fazer uma avaliação profunda, mas vamos esperar , que o tempo dirá se deu ou não certo, acabar com o come-e-dorme de políticos mamadores, que não estão nem ai para as necessidades da população sergipana.

RIBEIRÓPOLIS

Ainda sem previsão para retornar o seu funcionamento normal após o fechamento, ocorrido no dia 27 de novembro, o matadouro de Ribeirópolis passou por uma fiscalização da Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) nesta terça-feira, 4. De acordo com o diretor-presidente do órgão estadual, Gilvan Dias, o resultado da análise deve ser entregue ao prefeito Antônio Passos até a próxima sexta, 7.

AVALIAÇÃO

Segundo o presidente, levantamentos foram feitos para avaliar quais as atuais condições do matadouro e quais adequações emergenciais podem ser feitas para que ele retorne ao funcionamento, mesmo ainda não atendendo todas as demandas ambientais exigidas. Além disso, o presidente informou que “já foi traçada uma agenda para elaboração de uma licença ambiental”, declara.

SISTEMA DE ÁGUA

Um dos problemas que precisam ser solucionados nesse primeiro momento diz respeito ao tratamento do sistema de água do local. Também será necessário, conforme o presidente, a construção de uma espécie de tanque, que serve na contenção da água e na lavagem. Atualmente, segundo o presidente da Adema, foi constatada a presença de apenas um tanque no local, que acaba ficando sobrecarregado por conta da alta demanda. Conforme o presidente da Adema, técnicos da Vigilância Sanitária também estiveram presentes no matadouro na manhã de hoje e auxiliaram nas análises.

DECISÃO

O prefeito do município de Ribeirópolis decidiu fechar no dia 27 de novembro o matadouro da cidade. O fechamento do matadouro aconteceu justamente por conta da falta de licença ambiental para funcionar, e conforme o presidente da Adema, porque o município cometia outras infrações ambientais, a exemplo de resíduos que eram descartados em rios.

MULTA

Por isso, a Adema multou a administração em R$30 mil, e a prefeitura resolveu fechar o local para evitar novas penalidades. Um novo relatório sobre a situação do matadouro está sendo elaborado e será encaminhado para o prefeito.

REUNIÃO

Após uma reunião entre o órgão estadual e a prefeitura de Ribeirópolis, o deputado estadual Georgeo Passos (Rede), que é filho do prefeito e esteve presente na ocasião, informou que a prefeitura pretende atender às exigências. “No momento, está fechado temporariamente. O problema é grave para a região toda. Após a conclusão do relatório, a gestão vai tentar cumprir e fazer um cronograma de ações e pedir o licenciamento ambiental”, disse Georgeo.

PRIVATIZAÇÃO

Ao anunciar a reforma administrativa, o governador Belivaldo Chagas (PSD) descartou a possibilidade de privatizar a Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso), assim como também descarta uma possível privatização do Banco do Estado de Sergipe (Banese). E ainda admitiu a carência de servidores públicos efetivos em vários setores da administração estadual, mas se limitou a assegurar que no primeiro momento o Governo se concentrará para fazer concurso público para preenchimento de vagas apenas na Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema).

CONCURSO

O governador não antecipou detalhes sobre o concurso público da Adema. Mas justificou, informando cerca de 90% dos servidores que atualmente atuam na Adema são pessoas que exercem a atividade com cargo comissionado ou servidores cedidos de outros órgãos. Apesar de extinguir 900 cargos comissionados, o governador pretende mantê-los, em sua maioria, para atender às necessidades do Estado e ficará com 2.163 comissionados que representa 1,8% da folha de pagamento dos salários dos servidores ativos, conforme o governador. Atualmente, segundo revelou, há 3.063 cargos comissionados na administração estadual. O corte provocará uma economia de algo em torno de R$ 10 milhões anuais.

ESCASSEZ

Segundo o governador, o Estado perdeu cerca de 12 mil servidores, a partir de aposentadorias e pedidos de demissão do serviço público, mas o número não foi reposto. No entanto, em decorrência da escassez de recursos e dos limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal quanto aos gastos públicos com pagamento de salários, o Governo deixará a realização de concurso público para os demais segmentos para outro momento, pensado ao longo dos quatro anos de governo.

DESO

Apesar de afastar qualquer possibilidade de privatização em seu governo, Belivaldo Chagas admite que a Deso necessita de novos incentivos para evitar o desperdício de água e se mostrou aberto a parcerias com a iniciativa privada para fomentar ações que possam evitar transtorno para a população com a falta de água e com o desperdício do precioso líquido, especialmente no interior do Estado.

VAZAMENTOS

Belivaldo Chagas se surpreendeu com o desperdício provocado por vazamentos que frequentemente estão ocorrendo no interior. Há cerca de duas semanas, conforme informou em entrevista coletiva concedida nesta terça-feira, 4, ele mesmo ouviu reclamações de moradores do município de Simão Dias decorrente da falta de água e dos vazamentos. Ele próprio tomou a iniciativa de solicitar a interferência de um motociclista para percorrer a cidade e identificar os vazamentos. Em um único dia, segundo contabilizou, foram identificados 62 pontos de vazamento de água na tubulação que passa pela cidade.

GESTÃO

Coisas desta natureza ele quer combater com as medidas que pretende implantar na gestão da Companhia de Saneamento, sem ter que privatizá-la. “É importante buscar parceria público privada para reduzir a perda de água que a gente produz, que é muito grande”, diz. Para Belivaldo, a alternativa também seria abrir a empresa para o mercado de capital disponibilizando ações, medida que seria tomada para tornar a Deso mais ágil e eficaz na prestação de serviços.claudio1

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Telefones: 79 3214-5421 / 3044-0783
Email: contato@gazetahoje.com