Maior taxa elevada de morte com moto

samuO Estado de Sergipe tem a taxa de morte por acidentes com motocicletas mais elevada do Brasil. O índice de 17,6 a cada 10 mil veículos é quase três vezes maior que a média do País (6,6) e quatro vezes acima da taxa verificada no maior Estado brasileiro, São Paulo, que registrou em 2010, 4,4 mortes a cada 10 mil veículos. Os dados estão no “Mapeamento das Mortes no Trânsito”, publicação da Confederação Nacional dos Municípios (CNM) que trata das mortes e das internações por acidentes de trânsito no Brasil de 2010 a 2010 e o crescimento da frota brasileira de veículos e suas consequências.

A estatística da CNM bate com a do maior hospital público do Estado. No Hospital de Urgência de Sergipe, a cada cinco minutos, um paciente vítima de acidente envolvendo motocicleta dá entrada no setor de trauma dessa unidade. “São pacientes que requerem um atendimento de variadas especialidades médicas e que movimentam toda uma equipe de saúde fazendo com que diversos profissionais se voltem exclusivamente para ele, gerando um custo social muito elevado”, disse o diretor-clínico do Huse, Marcos Kröeger.

Para ele, essa situação poderia ser evitada se houvesse respeito às leis de trânsito e o uso dos equipamentos de segurança exigidos pela legislação, “e o sentido de paz no trânsito”, destacou o médico-cirurgião.

O presidente do Detran-SE, Edgard Mota, entende que o respeito às leis de trânsito é fundamental para evitar acidentes. Ele enfatizou que o órgão, além de fiscalizar, investe na conscientização dos condutores, passageiros ciclistas e pedestres através do trabalho educativo. “Esta ação é desenvolvida de forma permanente pela Coordenadoria de Educação para o Trânsito, que leva a todas os atores envolvidos nesse sistema a mensagem da necessidade da parcela de contribuição de cada um na construção de um trânsito mais seguro e humanizado”, disse ao citar como exemplo a campanha “Maio Amarelo – Atenção pela Vida”, um movimento de conscientização para a redução de acidentes de trânsito. O Maio Amarelo tem a proposta de estimular a adesão de toda a sociedade no compromisso pela cidadania nas vias.

Denatran e MS

De acordo com a pesquisa, a taxa de mortes por acidentes de motos na região Nordeste era de 9,6 a cada 10 mil veículos. No Sudeste, território do país com menor índice, a taxa ficou no ano de 2010 em 4,9. Na região Norte, o indicador foi de 6,7, no Centro-Oeste, 7,5 e no Sul, 5,9. A pesquisa da CNM se baseou em dados do Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) e do Departamento de Análise da Situação de Saúde da Secretaria de Vigilância em Saúde, ambos ligados ao Ministério da Saúde.

Ainda de acordo com a pesquisa, a grande maioria das vítimas dos acidentes com motocicletas são homens (89,2%) e estão na faixa etária de 20 a 39 anos (40,3%). O estudo salienta que 66% das vítimas são solteiras e a maioria (26,9%) estudaram até o ensino médio.

Salvo pelo capacete

De acordo com o setor de estatísticas do Huse, 22% das vítimas de acidentes motociclísticos atendidos na unidade no mês passado precisaram de internamento. Em números absolutos, foram exatamente 688 atendimentos, dos quais 152 ficaram internadas para tratamento cirúrgico, exames ou outro tratamento.

Fonte: JC net

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Whatsapp:  79 99932-1656
Email: contato@gazetahoje.com