Tiago Nunes fora do Grêmio

tiagoRodada do fim de semana também tem revolta de Abel Ferreira, queda de gandula e jogador usando nome de nascença no lugar do apelido para enganar adversário.
O fim de semana foi agitado no futebol brasileiro. Teve técnico caindo, no Grêmio, e sendo derrubado, após o gol da vitória do Fluminense sobre o Flamengo. Também tivemos gandula mostrando toda a falta de habilidade, camisa com erro de grafia e, logicamente, polêmica em decorrência do uso do VAR.
Confira como foram os jogos da rodada da Série A
O Grêmio encerrou a rodada reacendendo o Atlético-GO, mas a gente vai começar por esse jogo, pois o resultado mudou o rumo dos gaúchos. A partida, por si só, seria bem trivial não fosse o técnico Tiago Nunes ter entrado nela ameaçado de demissão, que se concretizou após a derrota para o Dragão.
Derrotado e lanterna da Série A, Nunes se junta aos 14,7 milhões de brasileiros que estão sem emprego atualmente.
Segura, Roger
Quem também caiu no domingo foi Roger, do Fluminense. E derrubado pelos jogadores, vejam vocês.
Calma. Ele segue empregado e nada de motim no Flu, que derrotou o Flamengo, com um gol nos minutos finais. A queda em questão foi literal. Após o gol de André, o centroavante Fred agarrou o técnico, que acabou no chão, com cara de poucos amigos. Calma, professor.
Calma, Abel
Ganhar e ficar emburrado estava na moda no último domingo. Mesmo com a vitória sobre o Sport, Abel Ferreira saiu detonando o gramado da Ilha do Retiro e disse que deveria ser proibido jogar no estádio. Relaxa, Abel.
Z de zero
A turma da grafia do uniforme do Santos bem que poderia conferir o documento dos atletas…
Antes da derrota para o América-MG, a turma das redes sociais do clube postou a tradicional foto dos jogadores nos vestiários. E estava lá o jovem Andrés Sánchez. Sentado, de boa, em frente ao uniforme. Tudo lindo, não fosse um detalhe: na camisa estava escrito Sanches, com S, de sem noção…
Habilidade? Não temos
Quem também levou um zero foi o gandula de São Paulo e Bragantino. O jogo ainda estava 1 a 0 para o Tricolor, que depois levou a virada, quando o jovem tentou mostrar toda a habilidade antes de repor a bola. Resultado? Uma queda que até o presente momento não conseguimos explicar como aconteceu.
Sempre ele…
O VAR deveria ter um espaço dedicado a ele neste produto. Faça chuva ou faça sol, toda rodada tem polêmica de arbitragem. A bola da vez foi no empate entre Corinthians e Internacional. Isso porque os corintianos ficaram indignados com a marcação do pênalti de Jô em Victor Cuesta.
A revolta foi tanta que os dirigentes foram cobrar o árbitro no intervalo da partida. A razão do imbróglio: o zagueiro do Inter estava em posição de impedimento quando sofreu a falta na área.
Após quatro minutos de análise, o árbitro Marcelo de Lima Henrique confirmou o pênalti. Errou? Acertou? O comentarista de arbitragem Salvio Spinola explica o lance:
Malandrinho, o senhor Pintado
Vitória e Goiás empataram em 1 a 1 no Barradão, mas o lance da partida aconteceu mesmo antes da bola rolar. Isso porque o técnico do Esmeraldino, Pintado, divulgou a escalação com um atacante chamado Eduardo, o que seria uma grande novidade no time.
Cadê Índio? Essa era a pergunta feita por quem via o papel. A questão é que Eduardo é o nome de batismo de Índio. Malícia feita para enganar o técnico Ramon Menezes. No final das contas Eduardo, o Índio, acabou sendo substituído sem marcar gol.

Por Redação do ge — Recife

 

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Whatsapp:  79 99932-1656
Email: contato@gazetahoje.com