Petroleiros e terceirizados paralisam em SE

petroleiros greve1Cerca de 80% dos servidores da Petrobras aderiram à paralisação de 48 horas em Sergipe. Nesta sexta-feira (30), eles se concentram em frente aos locais de trabalho na sede administrativa do órgão e no centro operacional Tecarmo, ambos na capital, e na base de Carmópolis. Além do pedido de reajuste salarial, a categoria também teme pelo futuro da estatal que está sendo investigada. Terceirizados também aderiram à mobilização.

O Sindicato Unificado dos Trabalhadores Petroleiros, Petroquímicos, Químicos e Plásticos nos Estados de Alagoas e Sergipe (Sindipetro AL/SE), informa que a principal reinvindicação da categoria é a reposição salarial de 8% (referente à inflação do ano) mais 10% de ganho real.

“Os trabalhadores de Sergipe aderiram à paralisação que também acontece em outros estados. Nossa pauta inclui ainda a reativação do benefício de farmácia, reajuste dos adicionais como o ticket alimentação e a incorporação do valor da Remuneração Mínima por Nível e Regime (RMNR) ao salário base”, acrescenta Gilvani Alves, diretora regional do Sindipetro.

Com a mobilização, o sindicato espera conter o que intitula de ‘plano de desinvestimento e privatizações’, além de conquistar um Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) e reverter as demissões de terceirizados.

 

 

 

Fonte:g1se

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Telefones: 79 3214-5421 / 3044-0783
Email: contato@gazetahoje.com