Cláudio “Botafogo” Messias – 03 de julho

ClaudioCAMPO DO BRITO

A Taxa de Iluminação Pública ou Contribuição para Iluminação Pública em Campo do Brito foi reajustada em 2.700% e quem não pagar terá o fornecimento de energia elétrica cortado. Um internauta postou em seu perfil no facebook, o valor de sua conta, na qual no mês de fevereiro, o valor da contribuição era de apenas R$ 5,89, e ao receber a conta do mês corrente, havia passado para R$162,70, ou seja, um aumento de mais de 2.700%.

CHOQUE

Os valores dos reajustes das “taxas” das contas recebidas pela redação de um portal, variam de apenas R$ 4 a mais de R$ 150,00 reais, isso em comparação com valores cobrados no mês de fevereiro. No município a cobrança é feita de acordo com a Classe (Residencial, Rural, Industrial, Comercial, Poder Público, Serviço Público e Grupo A/H) e também pela faixa de consumo de Kw/h. Os consumidores querem saber: quais foram as porcentagens estabelecidas para definir os valores dos reajustes, ou como é feito o cálculo e, também, se não houve algum erro nos cálculos, já que a variação dos valores é exorbitante?

SEM EXPLICAÇÃO

A redação do Portal i9 Sergipe, entrou em contato com a assessoria de comunicação da Energisa Sergipe, mas até o fechamento da matéria não recebemos nenhuma resposta. Tentamos também com a Prefeitura de Campo do Brito, responsável pela iluminação pública no município, através da Secretaria de Comunicação, mas também não obtivemos respostas.

 TÁ PIOR

O ex-vereador e ex-deputado estadual Bosco Mendonça fez um “tour” pela Europa e países de outros continentes e numa conversa com pessoas do povo disse que nós brasileiros somos felizes, porque crise mesmo está em alguns países ditos desenvolvidos, portanto, o que está acontecendo no Brasil é uma brisas em comparação com tsunami econômico no velho continente. Ainda bem que Deus é brasileiros e nós moramos num país tropical.

SEM POLÍTICA

O ex-vereador e ex-diretor de Espaço Público e Abastecimento da Empresa Municipal de Serviços Urbanos, Luís Carlos dos Santos (Branca de Neve) resolveu dar um tempo na política. Agora vai cuidar dos seus negócios particulares. O negão foi coordenador das campanhas de rua dos ex-candidatos ao Governo do Estado, senador Eduardo Amorim, PSC, e ao Senado (reeleição), Maria do Carmo do Nascimento Alves. Tomará que tome o bom caminho.

 PARALISAÇÃO

A queda de braça entre o magistério estadual e o governador Jackson Barreto de Lima, PMDB, parece não ter fim. JB dar entrevistas, garantindo que está aberto ao diálogo, mas a verdade é bem diferente. Por isso, em assembleia realizada na manhã de quarta-feira, 1, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, em Aracaju, os professores da rede estadual deliberaram ações de luta para pressionar o governo do estado a abrir canal de diálogo e negociação com a categoria. Devido à greve, que durou um mês (18 de maio a 18 de junho) os professores tiveram seus salários cortados.

 SEM AUDIÊNCIA

Até a presente data o governador, Jackson Barreto, não agendou audiência para negociar com o magistério da rede estadual o reajuste do piso salarial de 2015, que de acordo com a Lei Federal 11.738/2008 deve ser pago a todos os professores da rede pública, dentro da carreira e sempre no mês de janeiro. Além disso, o governo não garante condições dignas de ensino e aprendizagem a professores e estudantes das escolas estaduais de Sergipe.

 CORTE

Na tarde de quarta-feira, 1, às 15h, diretores do SINTESE se reunirão em audiência com a diretora da Diretoria de Educação de Aracaju (DEA), Maria Lúcia de Góes, para tratar sobre reposição de aulas, corte de ponto e calendário letivo. O posicionamento do SINTESE, que foi deliberado pelos professores durante assembleia ocorrida no dia 18 de junho, é não entregar o calendário de reposição das aulas enquanto não for negociado e revertido o corte de ponto.

 AGENDÃO

A agenda de luta encaminhada pelos professores durante a assembleia é a seguinte: - Dia 07/07 (terça-feira): Dia de luto do magistério em solidariedade aos professores da rede estadual de Sergipe. A ideia é fazer uma grande mobilização via rádio, TV e redes sociais, que envolva não só professores de Sergipe, mas de todo o Brasil, para que neste dia o magistério use preto como forma de demonstrar luto e indignação pela situação vivida pelos professores da rede estadual de Sergipe, que vêm sendo mascarados e criminalizados pelo governo do estado; - Dia 09/07 (quinta-feira) Coletiva de imprensa, às 07h:30, na Central Única dos Trabalhadores –CUT (Rua Porto da Folha - 1039, Bairro: Cirurgia, Aracaju) para tratar sobre os gastos do governo do estado com as folhas de pagamento dos Cargos em Comissão. Após a coletiva de imprensa os professores irão protocolar no Ministério Público Estadual (MP/SE) solicitação de improbidade administrativa contra o Governo do Estado de Sergipe; - Dia 14/07 (terça-feira): Dia de paralisação do magistério da rede estadual e ato em frente à Secretaria de Estado da Educação, em Aracaju, às 8h.

NOVA GREVE

Os professores vão insistir em negociar a reposição salarial e garantia dos direitos conquistados em décadas de luta e já agendaram para o dia 16/07 (quinta-feira), nova assembleia dos professores da rede Estadual, às 15h, no Instituto Histórico e Geográfico de Sergipe, em Aracaju. Além disso, vão promover atos nos municípios sergipanos e nos bairros em Aracaju contra o ‘Carrasco da Educação’, com participação de pais, mães, estudante e funcionário de escolas. O município de Lagarto irá realizar seu ato no dia 7 de julho. Atos nos municípios com entrega de dossiês sobre a situação das escolas estaduais ao Ministério Público Estadual em suas comarcas. A intenção destes atos é mostrar para a sociedade que a realidade que o governador Jackson Barreto pinta sobre a educação em Sergipe é falaciosa; Moção de apoio à greve conduzida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Serviços Públicos do Estado de Sergipe (SINTRASE).

BOICOTE

A decisão do magistério estadual é não participar dos desfiles estudantis de Sete de Setembro, caso até lá o Governo insista em não cumprir a lei do piso e não anuncie investimentos para melhoria nas escolas, permitindo aos mestres melhor desenvolverem as suas atividades, em prol da boa aprendizagem para os alunos.

É SIMPLES

A comissão especial que analisa mudanças no Supersimples aprovou por unanimidade relatório do deputado João Arruda (PMDB-PR) com as novas regras para enquadramento nesse regime de tributação. O substitutivo ao Projeto de Lei Complementar 25/07 e 28 apensados, apresentado pelo parlamentar, aumenta os valores para enquadramento no regime tributário do Supersimples de R$ 360 mil para R$ 900 mil (receita bruta por ano) para microempresas, e de R$ 3,6 milhões para R$ 14,4 milhões (receita bruta por ano) para pequenas empresas.

 MAIS GRANA

A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara dos Deputados aprovou a admissibilidade da Proposta de Emenda à Constituição 6/15, que aumenta as transferências da União para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM), incluindo na base de cálculo do fundo 20% da arrecadação da Cofins e da CSLL. A PEC é de autoria do deputado Odelmo Leão (PP-MG). Pelo texto, o percentual de 20% será alcançado em quatro anos, na razão de 5% por ano, cumulativamente. A PEC estabelece que os municípios apliquem os recursos exclusivamente em ações de saúde e de assistência social.

 CONSTITUCIONAL

Relator na CCJ, o deputado Esperidião Amin (PP-SC) defendeu a constitucionalidade e a juridicidade da PEC que aumenta as transferência da União para o FPM. “Vamos poder, na comissão especial, fazer um balanço de tudo aquilo que já foi retirado dos municípios. E poderemos ampliar o debate sobre o pacto federativo que já está em andamento “, disse. Durante os debates, o deputado Luiz Couto (PT-PB) foi contrário à proposta. “Os recursos que se pretendem distribuir aos municípios serão retirados da Previdencia Social, porque os municípios serão obrigados a aplicá-los apenas na saúde e na assistência social”, disse Couto. “É como vestir um santo e descobrir outro.”

 

 

 

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Telefones: 79 3214-5421 / 3044-0783
Email: contato@gazetahoje.com