Pânico por Coronavírus desmotiva retorno ao trabalho

panicoExcesso de informações vem causando medo na população

O panico se transformou em outro vírus, que paralelo ao Coronavirus, vem adoecendo a população. O temor de voltar as atividades normais, pelo risco de contaminação, tem feito com que muita gente desista do emprego por pânico e medo de adoecer. A Psicologia alerta para o temor diante da Pandemia e alerta para os cuidados.

"Além do vírus, as pessoas se contaminam com as notícias", disse o coordenador de Psicologia da UNINASSAU - Centro Universitário Maurício de Nassau Aracaju, André Mandarino. Ele explicou que buscar informações em fontes confiáveis e evitar o excesso de notícias pode conter a ansiedade durante a Pandemia.

O psicológo observou que psiqui8camente, as pessoas tendem a se interessar pelo negativo. "As pessoas se afetam muito, quando sentem medo e quando se desesperam de alguma maneira. O que temos de fazer é tomar entendimento de que isso é uma coisa que nos convoca ao medo. Se as notícias excessivas provocam mais ansiedade do que ajudam, sugiro restringir as fontes de informação que você buscando canais oficiais e de confiança, para limitar e filtrar a forma de acessar essas informações", disse André.

O psicológo explicou que as pessoas podem se tornar neuróticas,

quando passam a viver uma situação diferenciada como a pandemia. "Para muitos de nós essa é a primeira vez diante do risco. Há duas reações possíveis: uma negação, de quem entra na paranoia inversa com teorias da conspiração é a primeira. A outra é um pavor, excessivo", observou o professor.

Quanto à neurose, Andre explicou que no sentido corriqueiro, todas as duas são reações neuróticas, porque não são adequadas. "As duas te paralisam, te impedem de fazer as coisas que você precisa fazer. Em uma, você se coloca em risco - sai na rua, se mobiliza em tumultos etc - e na outra, você fica completamente fóbico, se pudesse se embalsamava com álcool gel e ficava debaixo da coberta. O ideal não é nem uma coisa nem outra. "É tentar funcionar normalmente, sem se paralisar", disse o psicológo.

Sobre a ansiedade que se manifesta a noite, esse é um reflexo do que vivemos durante o dia. "Ás vezes o que ocorre é que durante o dia vamos fazendo as coisas porque não tem como parar. Mas quando chega a noite, como em todas as situações, quando deitamos a cabeça no travesseiro, aí vem tudo. Se conseguirmos, ao longo do dia, manter um equilíbrio, à noite isso se mantém. Mas é realmente complicado dormir se durante o dia houve uma ansiedade e angústia permanentes, se você ficou se contaminando com as notícias", explicou André.

Por Suzy Guimarães

 

logo
Rua Dom Bosco, 96 - Cirurgia 
Aracaju-SE - CEP: 49.055-340
Telefones: 79 3214-5421 / 3044-0783
Email: contato@gazetahoje.com